Portuguesa, com certeza


Ponto por ponto

O apartamento acabou por ganhar uma particularidade fora de vulgar: o pavimento de pinho alargado à cozinha e à casa de banho que, à partida, parece pouco prático, mas que o verniz protege. A actual cozinha era um pequeno quarto com duas entradas. Foi adaptada aos dias de hoje com artimanhas laterais feitas de modo a esta ficar encastrada. À parede existente, entre a cozinha e a sala, retirou-se o vão de porta e abriu-se o novo utilizando técnicas antigas de tabique.

Este processo consiste, fundamentalmente, em reconstruir a gaiola pombalina, preenchendo o espaço com pedra argamassada à base de cal.

A cozinha, onde antes era um quarto, passou a ter uma janela para a sala, em vez da porta. Foi ocupada com móveis de cima a baixo que aproveitam o pouco espaço da melhor maneira. O painel de madeira, sobre os armários, esconde a iluminação.


antes

depois

Fechou-se a porta da despensa que dava para a antiga cozinha para se fazer a casa de banho. Manteve-se a chaminé, que se encerrou, por sua vez, no roupeiro a todo o comprimento do actual quarto. A casa de banho foi toda feita de novo e revestida com pedra moca creme.



antes

A
ntes tomava-se banho na cozinha - talvez por ser o local mais quente da casa. A banheira teve, também, de desaparecer para dar lugar a um roupeiro bastante espaçoso.

O corredor manteve-se. Ao fundo deste, junto à cozinha, a antiga arrecadação não tinha porta. Foi transformada na casa de banho e revestida com pedra moca creme.


depois

 



Paredes de gaiola






depois



durante

 

 

Revista "Casa Cláudia" - Fotógrafo José Miguel Figueiredo

  topo  
anterior
1|2|3|4
seguinte

© 2002 - 2018 Paulo Jones