depois

O projecto diz respeito à construção de uma moradia unifamiliar de traça num terreno em Sesimbra, que apresentava o seguinte aspecto antes do início da obra.


As escavações foram efectuadas em aterros de fraca consistência.
Houve necessidade de se recorrer à utilização de uma máquina retro e uma giratória bem como algum trabalho manual.

Os betões utilizados na construção desta moradia foram da classe solicitada no projecto de estruturas de betão armado. Todo o betão utilizado em fundações foi com aditivo hidrofego. Porém, o nosso método construtivo passa pela construção simultânea de paredes de alvenaria e betão armado de forma a criar um elo de ligação entre as peças e desenvolver um elemento mais coeso e estável.

O tijolo empregue neste tipo de construção foi de 1ª e na construção de alguns elementos de fachada, como seja o caso das janelas da cave teve que se recorrer à utilização de moldes.

Por sua vez, e em relação às coberturas da moradia, por se encontrar num ponto mais alto optou-se por considerar a utilização de telhas lusa com beirado à antiga Portuguesa e os anexos por se encontrarem num plano inferior foram utilizadas as telhas de canudo.

Todas as madeiras de pinho e casquinha utilizadas na construção desta moradia foram de 1ª, de fibras direitas e unidas, bem secas, não ardidas, sem fendas, isentas de doenças. No caso dos anexos exteriores as madeiras empregues foram de razoável espessura para o aspecto arquitectónico que se pretendia.













 

  topo  
     

© 2002 - 2017 Paulo Jones