Paredes de Alvenaria de Tijolo


O tijolo vulgarmente utilizado na construção de edifícios antigos, maciço ou furado denominado "Burro", tinha em média as dimensões de 0,23 x 0, 11 x 0,07m, as juntas não excediam 0,01 m de espessura. A argamassa de aplicação para além de ter alguma consistência devia também preencher todos os espaços livres.

Em igualdade de circunstâncias as paredes de tijolo podiam ser menos espessas que as de pedra, por dois motivos. Primeiro porque a horizontalidade da cama e a maior regularidade de sobreposição conferiam- lhes maiores resistências e fraca condutibilidade térmica.

Assim uma parede de 0,35 e 0,38 m de espessura numa parede de tijolo, correspondia a uma parede de alvenaria de pedra de 0,50 m de espessura.

Para a criação de várias espessuras de paredes eram utilizadas várias formas de ser assente:

- Pano de tijolo ao alto ou ao cutelo.
- Pano assente à meia vez.
- Pano assente à uma ve
z.
- Pano assente a uma vez e meia.
- Pano assente a duas vezes.



Ao cutelo

Tijolo aplicado ao alto, utilizado em paredes divisórias de fraca espessura, reforçadas de onde em onde, com o máximo de 2,0 m, por prumos de madeira ou ferro. Ou em construções de carácter provisório.



À meia vez

A aplicação à meia vez era utilizada em divisórias e em chaminés, por exemplo assente ao baixo de forma a que a sua largura corresponda à espessura da parede.



A uma vez

Neste caso, os tijolos eram colocados como se de perpianhos de pedra se tratassem, dado que a espessura da parede era igual ao seu comprimento.



Uma vez e meia

Os tijolos numa parede de vez e meia, com uma espessura de 0,35, podiam ser dispostos de várias formas, sendo a que corresponde à colocação de cada fiada de uma fila de tijolos a uma vez e outra a meia vez, a mais usual. Na fiada seguinte estas fiadas eram alternadas.



De duas vezes

Nestes casos, a espessura da parede é múltipla da largura de tijolo.

























Pano de tijolo ao alto ou ao cutelo



Pano assente à meia vez




Pano assente à umavez




Pano assente a uma vez e meia
   
topo

© 2002 - 2017 Paulo Jones